VARÍOLA DOS MACACOS: AO MENOS 16 PAÍSES TÊM CASOS CONFIRMADOS

Written by on 24 de maio de 2022

 

OS CASOS DE VARÍOLA DOS MACACOS EM HUMANOS TÊM SE ESPALHADO PRINCIPALMENTE PELA EUROPA APÓS A CONFIRMAÇÃO DO PRIMEIRO PACIENTE COM A DOENÇA NO REINO UNIDO, NO DIA 7 DE MAIO.

DE ACORDO COM LEVANTAMENTO REALIZADO PELA CNN E ATUALIZADO NESTA SEGUNDA-FEIRA (23), AO MENOS 16 PAÍSES CONFIRMARAM CASOS DA DOENÇA ATÉ O MOMENTO: ESPANHA, ITÁLIA, PORTUGAL, REINO UNIDO, AUSTRÁLIA, BÉLGICA, FRANÇA, ALEMANHA, ESTADOS UNIDOS, CANADÁ, HOLANDA, SUÍÇA, SUÉCIA, ÁUSTRIA, ISRAEL E DINAMARCA.

A ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (OMS) ACOMPANHA O CENÁRIO EPIDEMIOLÓGICO DA DOENÇA NO MUNDO. O PRIMEIRO CASO CONFIRMADO DA DOENÇA NO REINO UNIDO, QUE DISPAROU O ALERTA DA OMS, FOI INFORMADO À ENTIDADE NO DIA 7 DE MAIO. O PACIENTE, QUE VIAJOU DO REINO UNIDO PARA A NIGÉRIA, DESENVOLVEU UMA ERUPÇÃO CUTÂNEA NO DIA 29 DE ABRIL E RETORNOU AO REINO UNIDO EM 4 DE MAIO.

CARACTERÍSTICAS DA DOENÇA
A VARÍOLA DOS MACACOS (MONKEYPOX) É UMA DOENÇA TRANSMITIDA DE ANIMAIS PARA HUMANOS (ZOONOSE) SILVESTRE. AS INFECÇÕES HUMANAS INCIDENTAIS OCORREM ESPORADICAMENTE EM PARTES FLORESTAIS DA ÁFRICA CENTRAL E OCIDENTAL.

OS PAÍSES ENDÊMICOS DA VARÍOLA DOS MACACOS SÃO: BENIN, CAMARÕES, REPÚBLICA CENTRO-AFRICANA, REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DO CONGO, GABÃO, GANA (IDENTIFICADO APENAS EM ANIMAIS), COSTA DO MARFIM, LIBÉRIA, NIGÉRIA, REPÚBLICA DO CONGO, SERRA LEOA E SUDÃO DO SUL.

A DOENÇA É CAUSADA PELO VÍRUS DA VARÍOLA DOS MACACOS, QUE PERTENCE AO GÊNERO ORTOPOXVÍRUS DA FAMÍLIA POXVIRIDAE, E PODE SER TRANSMITIDO DE UMA PESSOA PARA OUTRA POR CONTATO PRÓXIMO COM LESÕES, FLUIDOS CORPORAIS, GOTÍCULAS RESPIRATÓRIAS E MATERIAIS CONTAMINADOS, COMO ROUPAS DE CAMA. O PERÍODO DE INCUBAÇÃO DA VARÍOLA DOS MACACOS É GERALMENTE DE 6 A 13 DIAS, MAS PODE VARIAR DE 5 A 21 DIAS.

A DOENÇA É MUITAS VEZES AUTOLIMITADA COM SINTOMAS GERALMENTE DESAPARECENDO ESPONTANEAMENTE DENTRO DE 14 A 21 DIAS. OS SINTOMAS PODEM SER LEVES OU GRAVES, E AS LESÕES PODEM SER MUITO PRURIGINOSAS OU DOLOROSAS.

O RESERVATÓRIO ANIMAL PERMANECE DESCONHECIDO, EMBORA SEJA PROVÁVEL QUE ESTEJA ENTRE OS ROEDORES. O CONTATO COM ANIMAIS VIVOS E MORTOS ATRAVÉS DA CAÇA E DO CONSUMO DE CAÇA OU CARNE DE CAÇA SÃO FATORES DE RISCO CONHECIDOS.

A VARÍOLA GERALMENTE É AUTOLIMITADA, MAS PODE SER GRAVE EM ALGUNS INDIVÍDUOS, COMO CRIANÇAS, MULHERES GRÁVIDAS OU PESSOAS COM IMUNOSSUPRESSÃO DEVIDO A OUTRAS CONDIÇÕES DE SAÚDE.

EXISTEM DOIS GRUPOS DE VÍRUS DA VARÍOLA DOS MACACOS, O DA ÁFRICA OCIDENTAL E O DA BACIA DO CONGO (ÁFRICA CENTRAL). AS INFECÇÕES HUMANAS COM O TIPO DE VÍRUS DA ÁFRICA OCIDENTAL PARECEM CAUSAR DOENÇAS MENOS GRAVES EM COMPARAÇÃO COM O GRUPO VIRAL DA BACIA DO CONGO, COM UMA TAXA DE MORTALIDADE DE 3,6% EM COMPARAÇÃO COM 10,6% PARA O DA BACIA DO CONGO.

CASOS MAIS LEVES DE VARÍOLA PODEM PASSAR DESPERCEBIDOS E REPRESENTAR UM RISCO DE TRANSMISSÃO DE PESSOA PARA PESSOA. É PROVÁVEL QUE HAJA POUCA IMUNIDADE À INFECÇÃO NAQUELES QUE VIAJAM E EXPOSTOS, POIS A DOENÇA ENDÊMICA É GEOGRAFICAMENTE LIMITADA A PARTES DA ÁFRICA OCIDENTAL E CENTRAL.

EMBORA UMA VACINA TENHA SIDO APROVADA PARA A PREVENÇÃO DA VARÍOLA, E A VACINA TRADICIONAL CONTRA VARÍOLA TAMBÉM FORNEÇA PROTEÇÃO, ESSES IMUNIZANTES NÃO ESTÃO AMPLAMENTE DISPONÍVEIS.


Reader's opinions

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.



Current track

Title

Artist