TERCEIRA DOSE É NECESSÁRIA PARA COMBATER AS VARIANTES DA COVID, DIZ INFECTOLOGISTA

Written by on 5 de julho de 2022

O BRASIL VIVE UMA NOVA ONDA DE COVID-19, SEGUNDO O INFECTOLOGISTA E DIRETOR DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE IMUNIZAÇÕES, RENATO KFOURI.

ELE CHAMOU A ATENÇÃO PARA O FATO DE QUE “NÃO ESTAMOS REGISTRANDO A TOTALIDADE DE CASOS, E HÁ CADA VEZ MAIS SUBNOTIFICAÇÃO, COM AS PESSOAS TESTANDO MENOS OU NÃO REPORTANDO RESULTADOS DE AUTOTESTES.”

“O AUMENTO DE CASOS É MUITO MAIOR DO QUE O REPORTADO, TODOS NÓS CONHECEMOS PESSOAS QUE ESTÃO COM COVID-19, É UM MOMENTO DE MAIOR CIRCULAÇÃO”, RESSALTOU.

KFOURI AFIRMOU QUE O AUMENTO TAMBÉM SE REFLETE NOS NÚMEROS DE INTERNAÇÕES E MORTES. “VOLTAMOS AO PATAMAR DE 6 MIL MORTES POR MÊS, E CHEGAMOS A REDUZIR PARA 3 MIL, APROXIMADAMENTE.”

SEGUNDO O DIRETOR DA SBIM, A MAIOR DIFICULDADE NESTE MOMENTO É A “COMPREENSÃO DE QUE O ESQUEMA PRIMÁRIO DE VACINAÇÃO É DE 3 DOSES.”

“TEMOS BOA PARTE DA POPULAÇÃO SOMENTE COM DUAS DOSES, MAS, PARA A ATUAL VARIANTE, A ÔMICRON, COM AS SUBVARIANTES B.A.4 E B.A.5, DUAS DOSES NÃO SÃO SUFICIENTES PARA PROTEÇÃO ADEQUADA”, COMPLETOU.

O INFECTOLOGISTA DEFENDE QUE, ALÉM DE INCENTIVAR A VACINAÇÃO COM ESQUEMA COMPLETO, INCLUINDO A QUARTA DOSE PARA QUEM JÁ ESTÁ ELEGÍVEL, É IMPORTANTE TAMBÉM “ASSOCIAR AS TERAPIAS QUE TEMOS REGISTROS, ANTIVIRAIS E ANTICORPOS MONOCLONAIS”, ESPECIALMENTE PARA AS PESSOAS QUE FICAM VULNERÁVEIS MESMO COM A VACINA, A EXEMPLO DE TRANSPLANTADOS E QUEM TEM MAIS DE 80 ANOS.


Reader's opinions

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.



Current track

Title

Artist