Com aumento nos índices de transmissão da Covid-19, Campos, RJ, volta à fase amarela.

Written by on 31 de janeiro de 2022

Decreto publicado na terça-feira (10) determina que atividades permitidas exijam comprovação de imunização com, pelo menos, 1ª dose da vacina contra a Covid-19.

O aumento nos índices de transmissão da Covid-19 fez com que Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, voltasse para a fase amarela do Plano de Retomadas de Atividades Econômicas e Sociais do município e alterasse algumas medidas de combate à doença. A fase indica situação de atenção moderada em relação à pandemia.

Campos estava, desde o dia 25 de junho, na fase verde.

De acordo com a prefeitura, Campos tem registrado alta nas internações em leitos clínicos e de UTI Covid, aumento no número de casos, e tem indicadores da presença da variante delta no município.

“Aumentou em 100% a taxa de contaminação das pessoas entre 18 e 39 anos. No momento em que a gente retoma o número de internações e infecções, isso mostra para a gente que é possível que tenhamos uma nova variante entre nós e é possível que seja a delta, apesar de ainda não haver comprovação”, explica o subsecretário de Atenção Básica, Vigilância e Promoção de Saúde, Charbell Kury.

Nesta terça-feira (10), a Prefeitura de Campos publicou um decreto determinando novas medidas de combate à Covid-19.

 

Mudança de estratégia

As medidas estabelecidas nesta fase amarela são diferentes das determinadas anteriormente. De acordo com a prefeitura, a mudança de estratégia foi adotada porque já há mais de 250 mil pessoas vacinadas com, pelo menos, a 1ª dose da vacina no município.

Comprovação de 1ª dose

De acordo com o novo decreto, estabelecimentos, como bares, restaurantes e academias, cinema, entre outras atividades geradoras de aerossóis, além de concessionárias de serviços públicos ou privados, deverão apresentar comprovação de vacinação de, pelo menos, 1ª dose da vacina contra a Covid-19 do proprietário, funcionários, colaboradores e frequentadores que possuam a idade superior ou compatível com o dia da vacinação do município.

Os estabelecimentos terão o prazo de 72 horas para se adequarem às exigências do decreto.

Segundo o documento, em caso de negativa de apresentação de comprovante de vacinação, o mesmo poderá funcionar se afixar em local visível na entrada do estabelecimento placa contendo a mensagem: “Os integrantes deste estabelecimento decidiram não se vacinar contra Covid-19”.

Os estabelecimentos que não cumprirem as exigências estarão sujeitos à multa, interdição e/ou cassação de alvará.

O decreto não exige, entretanto, a comprovação de vacinação dos frequentadores do comércio, devido ao fluxo menor de pessoas, segundo o município.

Para todas as atividades, estão mantidos os cuidados previstos, como a obrigatoriedade do uso de máscaras, higienização das mãos com álcool 70% e distanciamento social.

A mesma exigência da 1ª dose da vacina vale para as praças de alimentação de shoppings e similares, que também deverão fazer a delimitação da área do espaço de alimentação com controle de entrada para consumo de alimentos no local somente para os vacinados, sendo de responsabilidade do shopping o controle de acesso.

Os consumidores com idade abaixo da faixa etária praticada no calendário de vacinação naquele dia pelo município estão liberados da exigência.

A vacinação deve ser comprovada com o cartão de vacinação físico ou digital, ou qualquer outro meio que comprove a aplicação de, pelo menos, a 1ª dose da vacina.

“A chegada da doença, de forma grave, em adolescentes e adultos jovens sinaliza para a gente a necessidade de estarmos vacinados e termos nossas responsabilidades individuais, além das coletivas do poder público. Ao todo, 80% das pessoas doentes por Covid-19 estão com sintomas leves ou assintomáticas e transmitindo a doença para outras pessoas. O foco agora é quebrar a transmissão, através da vacina. Não postergue sua vacinação, não escolha sua vacina e não deixe para depois a sua vacinação”, afirma o subsecretário.

Outras medidas

A prática de atividades esportivas individuais e coletivas continua permitida, mas é vedada a presença de torcidas ou qualquer outro tipo de aglomerações.

O novo decreto também prevê algumas exigências em relação aos velórios. Estão mantidas no serviço público as atividades com exercício presencial das funções, também, cumprindo as mesmas exigências da vacinação.

O retorno escolar do ensino médio e universidades e pós-graduação de forma presencial segue suspenso, sendo mantido o ensino infantil e fundamental em modelo de ensino híbrido.

Está liberado o funcionamento presencial para aula prática de cursos de saúde, ensino técnico e universidades, e ainda os cursos livres com 30% da capacitação máxima.

O decreto tem validade até o dia 30 de agosto, quando será realizada uma nova reunião virtual do Gabinete de Crise Covid-19 para análise das informações e o planejamento da novas ações a serem implementadas.

Fonte: G1


Reader's opinions

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.



Current track

Title

Artist