Agendamento online para 2ª dose da CoronaVac para crianças de 6 a 11 anos

Written by on 5 de março de 2022

A aplicação da segunda dose da vacina CoronaVac para todas as crianças de 6 a 11 anos continua e, a partir dessa segunda-feira (07), o atendimento será realizado por agendamento  e também por distribuição de senhas, assim como já acontece com a aplicação da primeira dose para aqueles que ainda não foram imunizados que está mantida.
Para isso, pais ou responsáveis legais dos menores com idade entre 6 e 11 anos já podem agendar uma das 150 vagas no Centro de Convenções da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf), que atenderá das 9h às 16h. Outras 90 vagas foram liberadas para as Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSF) da Penha e Jamil Ábido. O atendimento começa às 8h30 e se estenderá até as 13h.
Por senha, as crianças de 6 a 11 anos podem receber a vacina nas UBSFs Santo Amaro; Custodópolis; Lagoa de Cima; Ponta da Lama; Parque Prazeres; e na UPH de Travessão. Em todas as unidades a aplicação ocorrerá das 8h30 às 13h.
“O intervalo para receber a segunda dose da CoronaVac é de 28 dias. Logo, os pais devem estar atentos ao cartão de vacina das crianças e se dirigirem a um dos postos destinados para essa imunização”, explica o coordenador de Imunizações, Leonardo Cordeiro. Além dos documentos pessoais da criança, é necessário apresentar o cartão de vacina.
A segunda dose para as crianças que receberam Pfizer ainda não está disponível, pois o intervalo do deste imunizante é de dois meses.
PIMEIRA DOSE – Também no Centro de Convenções da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) será aplicada a primeira dose para crianças de 6 a 11 anos. São 150 vagas para agendamento para atendimento das 9h às 16h. Quem não conseguir fazer o agendamento, também pode ser atendido por senha. Já na UBS da Penha, são 50 vagas, exclusive por agendamento, para aplicação das 8h30 às 13h para a mesma faixa etária.
Crianças de 5 anos podem fazer agendamento para uma das 140 vagas do Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIE) e na Cidade da Criança. O público de 5 a 11 anos pode receber a vacina nas UBSF’s do Parque Rodoviário e Jamil Ábido, que totalizam outras 140 vagas.
O atendimento exclusivo por senha de crianças de 5 a 11 anos pode ser feito na Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) de Lagamar, em Farol de São Tomé, e em Poço Gordo. Já as crianças de 6 a 11 anos, podem receber a vacina nas UBSF’s; Santo Amaro; Lagoa de Cima; Ponta da Lama; Custodópolis; Parque Prazeres; Morro do Coco e na UPH de Travessão. A aplicação acontece das 8h30 às 13h.
Para as crianças receberem a vacina, independentemente de ser por agendamento ou senha, pais ou responsáveis legais devem apresentar a caderneta de vacinação, RG, CPF ou cartão do Sistema Único de Saúde (SUS) e comprovante de residência.
DEFICIÊNCIAS – Na Cidade da Criança serão vacinados os menores de 5 anos com deficiências. Já as crianças de 6 a 11 anos com deficiências podem receber a vacina nas UBSF’s Santo Amaro; Lagoa de Cima; Poço Gordo; Ponta da Lama; Custodópolis; Parque Prazeres; Morro do Coco e na UPH de Travessão. Todos terão prioridade na fila desde que apresente documentação comprobatória da deficiência.
As deficiências permanentes são: pessoas com limitação motora que causa grande dificuldade ou incapacidade para andar ou subir escadas; com dificuldades ou incapacidade de ouvir, mesmo com uso de aparelho auditivo; com incapacidade de enxergar mesmo com uso de óculos; e com deficiência intelectual permanente que limite as suas habilidades habituais, como Síndrome de Down; Síndrome do X-Frágil; Síndrome de Prader-Willi; Síndrome de Angelman; Síndrome de Williams; Alzheimer; Transtorno do Espectro do Autismo (TEA); Doenças incapacitantes, temporárias ou permanentes.
COMORBIDADES – As crianças de 5 a 11 anos com comorbidades serão atendidas no CRIE por livre demanda, mediante apresentação de documentação comprobatória que pode ser laudo médico, receita, cartões de gratuidade no transporte público, incluindo a Carteira Municipal de Identificação do Autista (CMIA); documentos de atendimento em centro de reabilitação ou unidades especializadas; documento oficial que identifique a deficiência; carteirinha de algum programa, como, por exemplo, Programa de Assistência ao Paciente com Asma e Rinite (Proapar) ou Unidades de Assistência de Alta Complexidade (UNACON), entre outras.
As comorbidades elencadas pelo Ministério da Saúde para a vacinação contra a Covid-19 são: cardiopatia; pneumopatia; imunocomprometidos; renal crônico; doença neurológica crônica; doença hepática crônica; doença hematológica crônica; obesidade; diabetes mellitus; e asma.
Fonte: PREFEITURA DE CAMPOS

Reader's opinions

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.



Current track

Title

Artist